en-USes-MXnb-NOpt-BRde-DEfr-FR
Sign Up   |  Login
Educação

Ouça o que Liz tem a dizer sobre Educação.

Quem tem TOC?

Aproximadamente, 2,5% da população, ou 6,6 milhões de pessoas, sofrerão transtorno obsessivo-compulsivo (TOC) em sua vida. Em outras palavras, o TOC é um problema que muitas pessoas têm. Você não é o único! TOC é um transtorno que afeta todas as pessoas de todos os estratos sociais.

Você não “fez” nada para desenvolver o TOC. Em outras palavras, não é culpa sua. É mais provável que o TOC seja um comportamento herdado. Dados de pesquisa demonstram que as pessoas com TOC têm alguém na família que também padece deste transtorno.

O TOC é um transtorno neuropsiquiátrico, ou seja, “do cérebro”. Por meio de cintilografias cerebrais pôde-se constatar que o cérebro de pessoas com TOC age de forma diferente do que o daquelas sem TOC.

O que é o TOC?

Algumas pessoas pensam a respeito do TOC como tendo um “soluço” no cérebro. Não entendemos bem por que ocorre ali, mas podemos tentar eliminar o soluço.

Os sintomas podem começar na infância, mas muitas pessoas começam a desenvolver os sintomas ao redor dos 19 anos de idade.

Um pouco mais da metade das pessoas com TOC são do sexo feminino.

O TOC tende a ser um transtorno que se manifesta gradualmente. Por outro lado, alguns casos se desenvolvem muito rapidamente, sem avisar. Às vezes, as pessoas não percebem que padecem de TOC até ouvir ou ler a respeito.

Algumas pessoas podem não perceber por que se sentem ou se comportam de uma determinada maneira. Mesmo sabendo que esses pensamentos/comportamentos não fazem sentido, eles ainda lutam para mudá-los.

O que exatamente é TOC?

O que exatamente é TOC? As pessoas com TOC têm obsessões (pensamentos, imagens ou medos) das quais não se podem livrar. Logo descobrem maneiras para não se sentir tão preocupadas, adotam um comportamento que faz com que se sintam melhor, denominado “compulsão” ou “ritual”. A maioria das pessoas têm obsessões e compulsões. Eis aqui um exemplo de ter ambos. Algumas pessoas têm obsessões de contaminação por germes. Elas se preocupam constantemente com todos os germes com os quais entram em contato regularmente. A única maneira de não ter obsessões de contaminação é lavar as mãos, o que é um exemplo de compulsão. O ciclo obsessão/compulsão é muito poderoso. Mais importante ainda é que as compulsões que as pessoas têm reforçam suas obsessões!

Ainda sobre o exemplo de contaminação com germes e seguindo a compulsão ou o ritual de lavar as mãos, as pessoas tendem a se sentir melhor porque param de ter obsessão de contaminação. No entanto, o alívio é apenas temporário, porque é bem provável que a obsessão volte e incomode. Então, o que pode acontecer? Bem, aprendemos que, da última vez, lavar as mãos fez desaparecer a obsessão, então, voltamos a lavar as mãos. Em outras palavras, houve aprendizado: “Na última vez que me incomodei com germes, lavei as mãos e me senti melhor. Por isso, vou lavar as mãos de novo…” E assim começa o ciclo.

O que o TOC não é

O TOC não é apenas “se concentrar” em algo, como fazer compras ou jogar futebol. Implica um ciclo bem específico de aumento e redução da ansiedade.

Não se trata apenas de um comportamento repetitivo. Ocorrem alguns comportamentos repetitivos que, às vezes, acredita-se sejam de TOC, mas não são; como puxar o cabelo, jogar jogos de azar, fazer compras e comer.

Qual é o tratamento para o TOC?

O tratamento eficaz mais amplamente reconhecido para o TOC é denominado Exposição e Prevenção de Resposta (ERP - Exposure and Response Prevention)

O ERP é um método terapêutico fundamentado em pesquisa, desenvolvido especificamente para o tratamento do TOC.

Este modelo foca o número de componentes.

Primeiro, a pessoa é exposta a fatores que desencadeiam obsessões.

Segundo, a pessoa aprende a como não seguir ritos ou ter compulsões. Esta talvez seja a parte mais desafiadora do tratamento

Em terceiro lugar, todo comportamento de resistência, como dizer a si mesmo que está tudo bem, é identificado e erradicado.

O ERP é um tratamento gradual. A pessoa não enfrenta primeiro suas obsessões/compulsões mais angustiantes. Ao invés disso, o tratamento se inicia com as obsessões e compulsões que perturbam moderadamente a pessoa.

Como acontece com tudo quando se aprende pela primeira vez, a prática é essencial. Quanto mais a pessoa que padece de TOC enfrentar suas obsessões e NÃO seguir ritos ou tiver uma compulsão, menos perturbadoras serão as obsessões.

Os medicamentos contra TOC dão resultado?

Os medicamentos, especificamente os inibidores da recaptação da serotonina (IRS), têm sido o foco principal do tratamento farmacológico do TOC para adultos.

Em geral, a pesquisa visando o tratamento do TOC com medicamentos serotoninérgicos corroborou o uso destes medicamentos com relação ao placebo (comprimido de açúcar). Contudo, embora os IRS diminuam os sintomas do TOC, os sintomas tendem a voltar quando a administração do medicamento for interrompida.

Muitas pesquisas também comparam o medicamento com o ERP. Em geral, o tratamento cognitivo-comportamental funciona bem sozinho ou combinado com um IRS. No entanto, foi observado que o ERP é tão eficaz quanto os tratamentos combinados. Portanto, a pessoa não precisa necessariamente receber medicamentos para se beneficiar do ERP. Mas, para algumas pessoas, o medicamento pode beneficiar o tratamento que recebem.

Se estiver interessado em receber tratamento farmacológico, converse com um psiquiatra especializado em tratamento de TOC.